O fantasma do andar desativado

Este relato foi contado por Claudio.

Certa vez, em um hospital em que alguns parentes trabalhavam, desativaram um andar inteiro para reforma.

Neste andar ficavam as salas de cirurgias e de recuperação pós operatório. 

Uma tia, que era recepcionista, estava realizando um atendimento de madrugada, quando de repente, o pintor que estava reformando o andar desativado apareceu na recepção extremamente assustado. Ao perguntarem o que tinha acontecido ele respondeu:

“Estava no segundo andar, pintando tranquilamente as paredes quando uma senhora apareceu. Ela estava usando uma camisola do hospital, só podia ser paciente. Eu estava em cima da escada, e quando a vi, falei para ela ela descer, pois o cheiro da tinta estava muito forte, e acabaria fazendo mal a ela.”

“Ela não respondeu nada, apenas ficou me encarando por quase um minuto. Após este silêncio constrangedor, ela começou a andar em direção a outro corredor do andar, do lado oposto das escadas e do elevador. Ao vê-la entrar neste outro corredor, fui atrás dela para pedir novamente para que descesse. Chegando neste corredor, a senhora havia sumido. Não tinha para onde ela ter ido. Todas as portas estavam trancadas.”

“Fiquei muito assustado, mas fiquei olhando para o corredor pensando para onde ela poderia ter ido. Após alguns minutos encarando o corredor, ouço um choro e um grito de uma pessoa adulta. O andar estava desativado. Passei a noite toda lá, não vi nenhuma pessoa subindo. Depois de ouvir este choro saí correndo. Tenho certeza que aquela senhora não era uma paciente. Pelo menos não uma paciente viva.”

Depois deste dia, o pintor pediu a conta. Pouco tempo depois, o outro pintor contratado acionou a segurança informando que havia uma senhora no andar. A segurança revirou o andar e nunca encontrou nada.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *